A angústia da troca

by - terça-feira, junho 28, 2011

E lá fui eu, trocar meu presente errado de Dia dos Namorados [adendo: o meu presente, mesmo que atrasado, foi certeiro: A Ilha dos Mortos, do George Romero, e Homem de Ferro II em Blu-ray]. Eu tinha dito anteriormente que a troca pode sim, ser uma experiência maravilhosa, mas é também angustiante.

Explico-me: lá está você, numa loja em que nem costuma por os pés - quando foi que a Handbook parou de vender surfwear e se tornou uma loja em que blusinhas custam no mínimo R$ 90, ninguém me avisou - com um valor considerável para trocas. E você tem metas, tem uma lista de peças essenciais que precisam ser compradas, uma lista de peças que você já tem estocadas e NÃO PODE, NÃO DEVE em hipótese alguma comprar mais delas (exemplo: saias floridas ou qualquer peça com poás, não posso adquirir nenhuma até 2019, pelo menos) e uma lista de peças que você até está precisando no momento, mas que não são prioridade.

Entrei na loja com a missão de me comprar uma calça jeans ou uma social decente, mas é claro que só haviam calças jeans skinny com lavagens duvidosas. Ok, primeira esperança - riscada. Segunda opção: casacos pesados, eu até tenho um de guerra que sempre uso, mas é inverno, a pessoa tem esperança de um dia entrar no avião e ir pra um país frio, vamos tentar né ? E de novo, esperança riscada: os casacos pesados e lindos da loja não cabem no seu valor de presente, que precisaria ser completado. Terceira opção: outro sapato, sapatos nunca são demais ! Experimentei um coturninho cinza, mas ele tinha mais cara de allstar falso, um bico meio esquisito, e desisto. 

Além disso, eu tinha ambições secretas, uma ganância louca para fazer meu único presente render e sair da loja como um novo mundo de opções do guarda roupa! Porque com o valor desse presente, eu faria milagres numa loja de departamento ou num centrão, e me sinto obrigada a fazê-lo render. E lá vamos nós chafurdar nas araras e deixar o vendedor louco da vida. Sendo assim, parti para minha última opção: blusas, afinal, estamos aqui falando de uma pessoa que tem compulsão por comprar e mandar fazer milhões de saias, e com isso acaba ficando sem calças, blusas ou sapatos.

Vamos começar da mais sem graça: blusa simples, de malha, tipo moça fina: assim jogada na cama em foto esculachada você não dá nada pra ela, mas no corpo fica linda.

Amor à primeira vista: blusinha com cara de loungewear, manguinha fofa, meio medieval, e parece uma versão nova de uma peça que a minha mãe comprou num brechó da Inglaterra por tipo 1 libra e usou até furar. Usei nesse look aqui.

 Detalhe dos botõezinhos na manga 3/4
Essa foi minha última escolha: tinha lacinhos e manguinha fofa, um tipo de blusa que venho caçando há séculos, só que além de ter achado ela meio transparente (uso com blusinha sem costura por baixo) eu teria que colocar uma graninha a mais para levá-la, por isso quase desisti, mas acabei levando.

Até que meu presente rendeu, não foi ?

You May Also Like

6 Comenta aqui >>

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amei essa de lacinhoooos, fofa demais!
    :D

    :*

    ResponderExcluir
  3. 90 paus por uma blusinha da Handbook?? Ou tudo no mundo esta ficando caro ou eu que estou ficando mao de vaca!! Anyway, nice buys... Amei a segunda blusinha!!!

    ResponderExcluir
  4. oii Anna! by the way, obrigada por lavar a louça da janta hj hehhee dona Ivani agradece!
    queria deixar registrado que amei todos os recentes posts q vc publicou! nessas semanas infernais de prova nunca mais voltei pra olhar o blog (pecaaado)
    mas agora to de volta!
    aah e as fotos do seu look ficarm boas sim
    bjo

    ResponderExcluir
  5. Amei a blusinha! Que presente!
    Beijos,

    Cris

    ResponderExcluir

E você, me conta ? Este espaço é para trocarmos ideias ! Se tiver alguma dúvida, deixe um e-mail ou link para que eu possa responder, por favor.