Leitura Edificante de Férias

by - terça-feira, janeiro 31, 2012


Ok, não estou de férias, mal tivemos a semana entre o natal e o ano novo e já estava eu de volta louca com a produção de teatro! Mas algumas de vocês estão de férias que eu sei, e a dica de hoje é de leitura para dar férias pras nossas cabecinhas, seja esperando um ônibus que nunca vem, seja em casa curtindo relax ou pra quando você cansou de tentar entender Bachelard ou ... (insira aqui qualquer filosófo maluco ou bibliografia obrigatória da sua pesquisa acadêmica ou de trabalho). Vou mostrar 3 achadinhos literários, mas não se enganem com o design fofolete dos livros da foto, eles estão bem longe de ser literatura inocente para garotinhas desavisadas, são praticamente um panorama crítico do papel da mulher contemporânea - ok, forcei a amizade, hehe! E você aí achando que isso aqui era um blog "de moda", hein, hehe.
São apenas indicações mesmo, não resenhas, já que não sou nenhuma Aline Aimée, ok?


"Vire a página. Você, ao olhar, fica de novo confuso. Você me conhece bem demais para me conhecer. Bem demais não, demais."

Margaret Atwood vem sendo chamada de "a nova epifania feminina" (li aqui, na verdade) e eu acho no mínimo justo. Eu já tinha lido Madame Oráculo (valeu Flá!) e depois ganhei de aniversário do meu querido Roger esse livro de contos dela. O clima de auto sabotagem em fluxo de pensamento te faz engolir os livros, e quando vi já tinha lido quase tudo em apenas uma viagem de ônibus urbano, já que A Tenda é uma reunião de vários contos curtinhos da autora. 


Se a tia Margaret é a nova epifania literária feminina, então não vão me sobrar palavras pra descrever a genial Vanessa Barbara. Além de ter uma coluna no blog da Cia das Letras (aliás, vale a leitura desse artigo aqui) e já ter trabalhado como operadora de telemarketing a serviço da verdade, essa mocinha apresentou como trabalho de conclusão do curso de jornalismo o tal do Livro Amarelo do Terminal. um indescritível compêndio de (?) crônicas, relatos, diálogos absurdos e fatos concretos sobre a Rodoviária do Tietê, lugar que muitos de nós já estivemos quinhentas vezes. Eu havia dado este livro de presente pra minha mãe mas acabei roubando ele pra mim, sou uma filha terrível. 


Você provavelmente conhece os desenhos da Chiquinha de algum lugar, estou sempre vendo ilustrações dela em revistas femininas - aliás, tinha umas ótimas na Gloss de janeiro. E se é dificil ser cartunista brasileiro da nova geração, magina ser cartunista moçoila, e felizmente Chiquinha taí pra isso: Uma patada com carinho samba na cara da sociedade consumidora de chick-lit e nos faz rir da nossa própria cara de moças auto proclamadas bem sucedidas, sofrendo com a pressão da felicidade cor de rosa. A visita ao blog dela, o Chiqsland, é imprescindível, dá pra conferir tirinhas fresquinhas (uma recente é sobre a creyssalização das tatuagens masculinas, imperdível) e tem até promoção - quem mandar foto com seu exemplar corre o risco de ganhar um kit fofura. E olha que tive a ideia de fazer esse post sem nem saber disso, acredito que foi uma comunhão dos astros! Vou ali sensualizar com o meu livrinho e já volto, hehe...

Espero que gostem das dicas, se alguém já leu comenta aí!

You May Also Like

5 Comenta aqui >>

  1. Só li um da Margaret... Mas fiquei com gostinho de "quero mais"!... Como eu comprei ou troquei mais livros do que a minha velocidade de ler, ela tá na fila!
    Vou pesquisar os outros livros também!
    Obrigado pelo hiperlink no meu blog!
    Você tem skoob Anna?

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ana, não conhecia nenhuma, mas amei as dicas!
    Obrigada pela citação, mas vc escreve bem demais! Pare de modéstia!

    Bejinhos!

    ResponderExcluir
  3. Fiquei com vontade de ler! E essas capas são lindas mesmo!!

    ResponderExcluir
  4. Putz, adoro o Livro Amarelo do Terminal. acho que já falamos sobre ele, será?
    Nunca mais passei pelo Tietê da mesma forma... ;-)

    ResponderExcluir

E você, me conta ? Este espaço é para trocarmos ideias ! Se tiver alguma dúvida, deixe um e-mail ou link para que eu possa responder, por favor.