Sobre ter um cão ♥ [Campanha especial Rotaroots ABRAÇANDO PATINHAS]

by - domingo, outubro 26, 2014

Demorou para que na minha casa chegasse um animal de estimação. Passamos toda a infância com alguns passarinhos, peixinhos e hamsters muito ocasionais, já que sempre moramos em apartamento. 

Quando a Paçoca chegou, eu era a bad cop da operação. Eu não queria que ela entrasse em casa, queria que ela aprendesse tudo rápido, que não fizesse bagunça, enfim, eu falava um monte de não toda hora. Eu era a chata. 

um doce de filhote

Só que ao contrário dos filhotes padrão, Paçoca foi um doce - rrá, tudumts - durante seu crescimento. Podemos contar nos dedos as coisas que ela quase destruiu, nada foi perda total, porque ela se entregava antes, e ficava o resto do dia se martirizando, embaixo da pia do banheiro, sofrendo sua auto punição. 

Assim que ela pôde sair na rua para passear, vieram as pedras no caminho. Um pouco por causa da fama de cachorro bravo que tem o pastor alemão, não sei vocês, mas as pessoas aqui na vizinhança morrem de medo, mudam de calçada, pegam seus preciosos shitzus e yorkshires e colocam no colo, hide yo kids hide yo wife. Ok, nem todas as pessoas, mas no começo foi díficil, e pra ajudar, Paçoca queria desbravar o mundo, pulando e se comunicando com qualquer pessoa que cruzasse seu caminho - com especial apreço pela terceira idade. E quando você vê um cachorro "de puliça" com 30 kilos latindo e indo em sua direção, ok, eu te perdôo, porque eu sei, tenho certeza absoluta que ela não vai fazer nada e que vou segurá-la, mas você não sabe

sério que dá medo essa bichinha ? sério ??

É verdade, não há cão de guarda como um pastor alemão, que consegue distinguir quem é estranho e quem é conhecido / amigo em poucos segundos. Ela é um amor, a não ser que você pule o muro da minha casa no meio da noite ou chegue perto numa moto, Paçoca ODEIA motos, especialmente as que entregam coisas, e também desgosta especialmente da van do correio, uma ironia, já que o correio nos traz tantas coisas boas ♥ um beijo para nossos amigos carteiros!

Com um cachorro maior, não tem como, precisa passar pelo adestramento. Depois das aulas, ela nunca mais tentou pular em ninguém na rua e nos obedece muito bem em público. É comum que os cachorros pequenos passem por ela e tentem arranjar briga, latindo e rosnando, mas ela ignora. Aliás, é dificil que ela faça amizades, porque os outros donos ficam com medo do tamanhão dela #lastimosa. Em compensação, donos de pastores alemão macho nos param o tempo todo, descem da bicicleta, estacionam o carro no meio da rua, deixam o telefone deles, pegam o nosso telefone, é uma verdadeira loucura. 

 de boas aqui vendo a fila dos meus pretendentes crescer 

E sim, queremos que ela tenha filhotes, mas muito mais para que ela tenha companhia, pretendemos ficar com todos / com alguns / com pelo menos um, e também por motivos de saúde - para diminuir os riscos de tumor de mama, embora uma pesquisa rápida no google possa te dizer o contrário, e a nossa fonte é a veterinária que atende a Paçoca. Também já pensamos em adotar um amigo para ela, quase fiquei com a Rosinha (história aqui). Ela não tem pedigree, veio de uma família que colocou um anúncio na internet e que não estava vendendo, mas doando em troca do valor das primeiras vacinas. 

Só mesmo tendo um cachorro em casa você percebe que a responsabilidade do dono vai muuuuuito além do básico - comida, água, veterinário, limpar cocô e xixi; por exemplo: já pensou quando você sair de férias, como vai levar o cão junto ou se tem alguém responsável em quem você confie para ficar com ele ? Guarda responsável tem muito mais a ver com atenção, entrega e respeito. Tem a ver com o quanto você está disposto a se doar por este bichinho que só vai te dar amor. Tenho certeza que muito da personalidade tranquila da Paçoca se deve ao fato que ela recebe muita atenção e carinho o tempo todo - ela brinca e passeia muito, pode entrar em casa, passeia de carro, pode fazer o que quiser. Quer ter um bicho que te obedeça, que seja tranquilo e que não destrua a casa ? Fácil. É só tentar oferecer a ele o mesmo tanto de amor que ele te dá - e pode ter certeza, vamos sempre ficar aquém nessa conta. 

Uma família feliz ♥

E aí que não é você escolhe o cachorro, e sim o cachorro que te escolhe. Por isso a gente acha um absurdo que as pessoas "comprem" cachorros / gatinhos, como se fossem objetos, sem pensar no que vai ser depois. Ou pior ainda, gente que abandona, que faz pouco caso, que deixa trancado em casa sem água, me pone loca. Tudo que sei sobre guarda responsável e adoção consciente, eu aprendi com a Paçoca e principalmente com o meu namorado Antonio, que é o maior exemplo de entrega e respeito aos animais que eu conheço (um bêjooo amorrrr perdoa aquela louça na pia, vai ♥).

Se você ainda não tem exemplos como esses na sua vida (ou não sabe que tem ainda), o projeto ABRAÇANDO PATINHAS - Rotaroots te ajuda, com uma colinha sobre os pilares da guarda responsável e adoção consciente:
  1. Educação das crianças sobre a necessidade do respeito aos animais
  2. Denúncia e vigilância contra maus tratos aos animais
  3. Castração dos peludinhos pra evitar o abandono dos filhotes não planejados
  4. Vacinação para todos
  5. Visitas regulares ao veterinário
  6. Conscientização contra os abandonos, principalmente no final do ano
  7. Necessidade de auxílio aos cães e gatinhos mais idosos
  8. Alimentação digna e saudável
  9. Espaços adequados para a diversão e bem-estar
  10. Higiene constante do local onde moram e também deles mesmo
Agora em outubro, no dia 04, foi comemorado o Dia Internacional dos Animais. E para celebrar esta data, o Rotaroots lançou não apenas um tema de blogagem coletiva, mas também uma ação offline em parceria com a Max Total Alimentos e uma ong de apoio aos animas, a ABEAC. A blogagem coletiva é apenas uma das opções de colaborar, você também pode apadrinhar cães e ajudar na divulgação para a adoção deles, doar ração e incentivar seus amigos a doar, tudo de maneira bem transparente, e explicado direitinho aqui: como participar. 

“Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook ”

You May Also Like

2 Comenta aqui >>

  1. quando eu era criança, também tinha uma pastora alemã! Chamava Ludmila e ela viveu muitos anos, mesmo quando eu mudei de cidade e ela foi morar com uns amigos dos meus pais. Eu não lembro dela (devia ter uns 4 anos) e meu pai diz que eu era LOKA na Lud.


    Cachorro é muito amor, já tive vários depois da Lud, mas no momento moro em apê e não podemos ter um cachorro tão grande (e nem pequeno mimimi). Mas meu sonho (sério) é que assim que eu tiver meu cafofo alone, vou adotar um. Tomara que a Paçoca possa fazer mais amigos, ela é realmente muito linda!

    ResponderExcluir

E você, me conta ? Este espaço é para trocarmos ideias ! Se tiver alguma dúvida, deixe um e-mail ou link para que eu possa responder, por favor.