O que eu descobri tentando montar um armário cápsula

by - quarta-feira, julho 22, 2015

Não sei se você já ouviu falar em armário cápsula, mas é algo que tem pipocado no meu feed e na minha timeline nos últimos tempos. O conceito é basicamente separar um número determinado de peças para usá-las por um período determinado de tempo, sem comprar ou adicionar outras peças à sua seleção. Fiquei com vontade de tentar esta experiência, principalmente para ser feliz com as coisas que tenho e desenvolver minha imagem/estilo pessoal. Pra mim, a graça desta brincadeira é aprender a coordenar e usar mais as peças com cores e formas que me vestem bem e me fazem sentir muito bem.

Claro, tem toda a coisa sustentável de manter um número baixo de peças e fazer boas escolhas, comprar menos e melhor, só aquilo que eu realmente preciso, mas já sou meio assim, não por sabedoria fashion, mas por ser pão dura e por pura falta de grana pra torrar livremente. Venho tentando desenvolver meu consumo consciente de roupas ao longo dos anos com listinhas de prioridades, mas sem olhar para o problema de verdade.


Não sei vocês, mas minha maior dificuldade nesta brincadeira de separar as tais 37 peças é equilibrar as partes de baixo com as partes de cima. Dá para notar por esta foto acima que sou uma pessoa que realmente preza pela coordenação de cores: tudo rosinha e vinho, e umas ilhas de bom senso de algumas outras cores. Fora as formas de cintura que não combinam com as formas de blusa - um monte de blusinha soltinha, um monte de saia sem a cintura exatamente marcadinha.

E gente, meu trabalho é meio isso - vestir outras pessoas, mesmo que seja figurino e não vida real. É aquela história - casa de ferreiro, espeto de pau. Eu morria de preguiça de um dia fazer isso, mas fiz: uma lista no excel com todas as peças que tenho. Nem eu acredito!! Sim, eu abri o armário e listei todas as peças, e não só isso .... eu as classifiquei! E descobri algumas coisas interessantes neste processo.


Sempre me gabei de ter poucas roupas, e achava que seria super fácil chegar nas 37 peças. Ledo engano! Mesmo depois de sucessivos limpas no guarda roupa - antes de fazer esta lista, eu já havia tirado mais uma boa sacola de roupas (isso vicia viu gente) e ainda assim tenho cerca de 76 peças "em atividade", incluindo sapatos. Isso sem contar pijama, roupa de ginástica ou "de ficar em casa", tenho muuuuita roupa de ficar em casa - como gosto de chamar, molambo, que nem entrou nesta conta. Roupa de fazer faxina, de passear com a cachorra, de fazer "arte", leia-se: "sujeira", tingir, sujar, pintar, envelhecer, encafofar todo tipo de coisa. Roupa gostosa de usar, mas impossível de sair na rua, dá vergonha até de doar.

E o que eu descobri sobre as minhas roupas ?

Que além de ter muito mais coisa que eu achava que tinha, a maior parte das minhas roupas é comprada em loja mesmo. Em segundo lugar, vem roupas que ganho de presente, principalmente da minha querida sogra (beijoooo pra sogrita). Em terceiro lugar, brechó, seguido de roupas que troquei, depois as que mandei fazer e por último as duas únicas peças de roupas que eu mesma fiz.


sim, eu fiz um gráfico sobre a origem das minha roupas. me julguem

Tenho muita roupa que faz o mesmo papel, na mesma cor - por exemplo, três blusas sem manga, da mesma cor. Também descobri que as roupas que mais tenho dificuldade de desapegar são as poucas que mandei fazer ou garimpei em brechó. Pode não me servir mais nem ter nada a ver com o meu estilo, ou já estar véinha, eu lembro de quando mandei fazer, da conversa que tive com a costureira, da historia da peça.

Ainda estou bem longe das tais 37 peças, tenho certeza que o meu armário cápsula vai ser beeem diferente do da Caroline - Un-Fancy ( a grande "autoridade" nesta historia de cápsula). Mas acho que a graça da brincadeira tá justamente aí, em adaptar / adaptar / adaptar e fazer isso funcionar para você. Gosto muito deste post da Emma (A Beautiful Mess), do ínicio deste ano, em que ela fala um pouco sobre isso, sobre como fazer um exercício fashion funcionar para você, com o objetivo de se sentir grata com as coisas que já tem. Ela explica sobre o sistema "do laço", em que você deixa uma fita amarrada antes das roupas dentro do guarda roupa. Toda vez que você usa uma peça, você a coloca depois do laço, e só pode voltar a usá-la quando tiver usado todas as roupas anteriores, como uma maneira de usar tudo que você tem e deixar bem claro quais são as peças que você usa pouco. Mais ou menos assim:

o tal  "método do laço" - imagem daqui

E se você quer ficar por dentro desta história de armário cápsula, eu recomendo ler todos os posts da Gabi sobre o assunto no blog Teoria Criativa. A Ana, do Hoje Vou Assim Off  também fez uma linkagem super completa com várias fontes, vale a pena conferir todos os links.

Estas foram minhas primeiras descobertas depois de um olhar mais crítico pras minhas roupas, ainda não decidi que peças separar para a brincadeira, mas prometo registrar tudo por aqui.

E vocês, já tentaram fazer algo parecido ?
O que as coisas que vocês tem no armário contaram sobre vocês ?

You May Also Like

10 Comenta aqui >>

  1. Que legal!!!
    Eu passei por este "confronto" ao fazer malas pra uma viagem de 23 dias. Mas é incrível! Eu percebi que tinha muita dificuldade com as 37 peças porque eu não queria ser ainda a pessoa que está sempre com a mesma roupa. Mas voltei e pensei: qual o problema? se realmente acredito na ideia, vale a pena ser a panfletária das mesmas roupas. Embora ainda tenha um probleminha, com trabalho em lugar fixo, se você não mudar suficientemente de um dia pro outro e na semana fica um clima de dormiu fora de casa. Mas nada como divulgar o capsule pra mudar isso!
    Outra coisa que senti diferença é sobre as "roupas de ficar em casa". Já leu Marie Gondo? Ela é contra essas roupas e estou me desfazendo das minhas tb! Deixei um par pra faxina e uma pra pintura. Mas quando eu fazia mais curta metragem eu precisava de muito mais opções pra pintura! E isso cada pessoa só pode avaliar se conhecendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, isso das pessoas repararem que você está repetindo as roupas é uma questão, mas é bem relativo - muitas vezes é uma coisa que a gente está mais preocupada que os outros. E tem a resposta clichê - ah, mas dá para fazer muitos looks com combinações diferentes, acessórios, etc, mas eu realmente acredito neste clichê, até por ter que fazer ele funcionar na prática em figurino de filme, por exemplo.

      Tô pra ler essa Marie Gondo, li uma resenha do livro hoje mesmo! Mas me convenci estes dias que eu realmente preciso de roupa "de bater", roupa velha pra fazer o trabalho sujo, mas não tantas quanto tenho hoje.

      Excluir
  2. Escrevi tanta coisa, mas queria compartilhar minha transição.
    Peguei várias peças que não combinam mais com minha imagem e vendi ou doei. Do que sobrou, algumas peças ficam até se desgastarem, independente do número de peças totais. Acho que fazer aos poucos combina mais comigo.
    Pras futuras compras, entram as regrinhas das peças chave, mas eu preciso ter camisetinhas a mais que não entram na conta e imagino que algumas pessoas tenham que adaptar isso ao seu estilo.
    Uma dúvida, Aninha, o que você pensa sobre as alterações nas 37 peças?
    Já li que se adaptar muito perde o sentido e que algumas pessoas adaptam porque não querem mudar. Mas eu vejo que para algumas rotinas, para algumas profissões, a alteração mantém a diversão em se vestir.
    Bjão, continuo adorando o blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doar e vender eternamente! Parece que nunca vai acabar.

      Eu sou super a favor de alterar e adaptar pro seu estilo de vida. Pode ser um pouco mais de peças, um pouco menos de tempos, ter regras mais flexíveis quanto à compra, desde que o objetivo do olhar crítico para a maneira como você se veste e para a maneira como você compra sejam mantidos!

      Obrigada por visitar <3 adoro seus comentários!

      Excluir
  3. Eu achei sensacional a ideia de armário-capsula. Vi na minha timeline, tenho amiga fazendo, li alguns blogs sobre... mas sou incapaz de fazê-lo kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Carol, às vezes a gente não precisa chegar a fazer a brincadeira, mas pode levar em conta algumas regrinhas / sugestões e levar isso para a maneira como você se veste ou consome roupas, mas não precisa ser radical!

      Excluir
  4. Juro que essa é a primeira vez que eu vejo sobre o assunto. Sempre que eu posso eu tiro as roupas que eu não visto mais, mas meus molambos (sim, também uso esse termo) eu não consigo dar. Acho que eu sofreria ao separar essas 37 peças, mas seria um desafio e tanto tentar.
    ;*

    http://clumsyluv.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata, poxa, que legal saber que alguém viu isso pela primeira vez por aqui!! E que você também usa o termo "molambos", heheheh! Tô aqui sofrendo pra separar as 37 peças, mas uma hora vai!
      Beijos

      Excluir
  5. Anna, eu achava que eu tava comprometida, mas a senhora fez até uma planilha no excel! Tadinha de mim hahahaha <3
    Te achei lá no grupo do FB! Ainda não comecei a falar de armário capsula lá no blog porque tô fazendo o conteúdo pro canal, hahaha, mas nesse BEDA com certeza vai acabar indo parar por lá!
    Depois, quando cê chegar nessa parte do processo, mostra suas roupinhas pra gente!
    Ah, adorei a dica do laço, não conhecia!
    Beijooos :*

    ResponderExcluir

E você, me conta ? Este espaço é para trocarmos ideias ! Se tiver alguma dúvida, deixe um e-mail ou link para que eu possa responder, por favor.